segunda-feira, 19 de abril de 2010

Doenças transmitidas por pulgas

Ao contrário do que se possa pensar as pulgas não são prejudiciais aos animais apenas pelo sangue que lhes sugam para se alimentarem diariamente. Ao alimentar-se as pulgas injectam saliva na pele do animal através da qual podem transmitir parasitas sanguíneos ou causar alergia grave (dermatite alérgica à picada da pulga). Além disso, através da sua ingestão quando se mordem para se coçarem os animais podem ficar parasitados com ténias que também podem ser transmitidas aos humanos.

Dermatite alérgica à picada da pulga

Ocorre em cães ou gatos que sejam alérgicos a um ou mais componentes da saliva da pulga. Acontece tanto em fêmeas como em machos mas geralmente não aparece em animais com menos de 6 meses de idade.
Nestes animais uma só picada é suficiente para desencadear esta doença causando sintomas como:
- Comichão (lamber, morder, arrastar-se nas paredes e tapetes, etc)
- Inflamação/vermelhidão da pele
- Pápulas (pequenas borbulhas vermelhas)
- Feridas com crostas
- Alopécias (falhas de pêlo)
- Cor escura da pele ou pus
- Mau cheiro da pele causado por bactérias e fungos
- Stress devido à comichão constante

As zonas mais afectadas são normalmente o dorso, a zona envolvente da cauda, a barriga, a parte de trás das patas traseiras e o pescoço.
O diagnóstico faz-se pelos sinais clínicos, localização e início do prurido (comichão) e pela visualização das pulgas ou das suas fezes. Nem sempre se observa uma grande quantidade de pulgas nestes animais pois eles ao lamber-se e morder-se acabam por eliminar grande parte das pulgas.

Parasitas sanguíneos - Hemobartonelose

O agente causador é a Haemobartonella felis, uma bactéria que se encontra dentro dos glóbulos vermelhos e que os destrói. Esta bactéria infecta principalmente os gatos jovens e pode ser transmitida entre outras coisa pela saliva que as pulgas injectam ao picar.

Os animais podem ser portadores da doença mas só desenvolver sintomas quando o seu sistema imunitário está debilitado ou quando estão infectados pelo vírus da leucemia (FeLV) ou da imunodeficiência felina (FIV). Geralmente detecta-se:
- Febre
- Apatia/depressão
- Diminuição do apetite
- Mucosas pálidas/icterícia (mucosas amarelas)
- Perda de peso
- Anemia
Para diagnosticar a doença é necessário fazer análises sanguíneas e o tratamento passa pela administração de antibióticos e transfusões sanguíneas em casos mais graves. Caso não sejam tratados cerca de um terço dos animais infectados com esta doença morre.

Ténias – Dipilidium caninum

As pulgas são transmissoras deste parasita intestinal quando são ingeridas pelos cães/gatos e não através da sua picada como acontece noutras doenças. O Homem também pode ser infectado com esta ténia através do contacto com as fezes de animais portadores do parasita. Isto acontece porque o parasita vai largando segmentos semelhantes a grãos de arroz contendo ovos através das fezes do animal.
Cães infectados com Dipilidium podem apresentar:
- Diarreia
- Perda de peso
- Prurido anal que faz com que o animal arraste o rabo no chão
Este parasita é detectado pela visualização dos seus segmentos nas fezes mas podemos suspeitar da sua existência pelos sinais clínicos. Em qualquer dos casos aconselha-se tratar o animal com um desparasitante interno de largo espectro e repetir o tratamento mensalmente até que desapareçam completamente os sintomas.

Devido a todos os efeitos negativos que as pulgas causam, o controlo da infestação deve ser feito cuidadosamente, mantendo a utilização de produtos anti-pulgas durante todo o ano assim como a higiene dos locais onde os animais se encontram.
Aconselhe-se com o seu veterinário sobre qual o produto mais adequado para o seu animal principalmente nos casos de animais alérgicos à picada da pulga em que o controlo deve ser mais apertado.

4 comentários: